quinta-feira, 28 de abril de 2016

Quase Contradições.

A verdade que está presa no tempo
O amor que era apenas obsessão
Modificavam-se nos momentos
Em que clareava minha visão

Quantos dias atormentado
Pelas bobagens que inventei
Cometi contra mim, tantos pecados
Masoquismo? Eu não sei

Atirado em teorias e indecisões
Muita suspeita, nenhum fundamento
Com esforço, suportei duras lições
Que buscaram meu amadurecimento

Euforias e frustrações
Inocentes, mas eficazes
Leves brisas e furacões
Cada qual com suas fases

Equivocada noção de tamanho
A ingênua insistência em engrandecer
É que o olhar de um estranho
Era o universo em meu poder

Em meus modestos devaneios
O impossível era meu aliado
Contudo, meus fortes receios
Conseguiam me manter calado

Uma insegurança arrasadora
Por ironia, afastava de mim, aquela missão
Amar e cuidar da pessoa moradora
Daqueles sonhos que pediam realização

Foi egoísmo, sim, eu sei
Mas de nada me arrependo
Pois no final, eu que acabei
Lamentando e sofrendo

Singelos e profundos
Aqueles versos pioneiros
Mas por Deus, não me confundo
Jamais foram verdadeiros

Eu tinha minhas razões
Sinceramente, eu já sabia
Separados corações
Não era amor o que eu sentia

Hoje, tudo mudou
Meu ser e minhas convicções
A poesia é o que restou
Dessas quase contradições


Samuel Garcia
Piratini, 28/04/2016

terça-feira, 19 de abril de 2016

Passageiros Desconhecidos.

Meus dias não são somente meus
Divido o amanhecer e o anoitecer
Com tantos outros como eu
Que a algo, procuram entender

Pensamentos estranham meu corpo
E se perdem em diferentes direções
Transportando a mim, impotente
Em um sinistro plano de previsões

Desfrutando de serena comodidade
E sufocante ausência de ocupação
Questiono o espaço e a realidade
De quem compartilha comigo, uma estação

Aqueles meus momentos mais intensos
Podem ter sido os mais pesarosos de alguém
Somos todos passageiros, propensos
A conhecer pessoas que nos façam bem

Há tantos anos atrás
Distraído, não percebi
A voz e o silêncio
De alguém que não conheci
(E sigo sem conhecer...)

Descobrindo a nós mesmos
Aprendendo de gostos e rejeições
A pura noção da infância eterna
É uma de nossas maiores decepções

Desvendando o valor de uma vida
Entendendo de amor e amizade
Vivenciar o futuro dos sonhos
É nossa maior prioridade

Como e quando chegamos mais perto?
O mais longe que os ecos puderam alcançar?
Quem sabe um dia esse destino incerto
Resolve, por descuido ou não, nos apresentar?

Eu empresto o dia e o campo
Você empresta a noite e o mar
A grama e a areia são palcos
Para belas memórias, guardar

Agora, o que falta pra perceber
O altruísmo e as trocas incidentais?
As belezas naturais que você vê
Posso vê-las tão belas e iguais

Estamos cada um em seu lugar
Somos passageiros desse chão
Onde podemos nos barrar
E discutir a ocasião
(Aí então, nos conhecemos...)


Samuel Garcia
Piratini, 19/04/2016

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Era um Final de Março...

Obrigado pela acolhida
Por desejarem me conhecer
Em meio a rotinas corridas
E piadas pra espairecer

Obrigado pela confiança
Por delicadas incumbências
Uma aliança mais forte a cada dia
Nascida das nossas convivências

Obrigado por compartilharem
As obras de suas vidas
Eu vi tantos sorrisos brilharem
Por conquistas merecidas

Obrigado pelo apoio
Pelas mãos oferecidas
Quando a vocês, recorri
Haviam centenas de saídas

Obrigado pelos sorrisos
Por serem tão naturais
Loucuras de improviso
Com certeza são imortais

Obrigado por me ensinarem
Rir da vida e compaixão
Levo de vocês, suas imagens
Repletas com a minha gratidão

Obrigado por serem tão especiais
Simples, mas profundo...

Foram tantas correrias
Muitas folhas pra perder
Inúmeras travessias
E mates pra encher

Por tudo isso, me desculpo, se com vocês
Em algum momento, acabei por falhar
Mas tenho essa chata mania
De a tudo, querer embargar
(E o que é pior, ao mesmo tempo)

Vera Moreira, uma casa
Colegas, uma família
Meus irmãos, irmãs, mães e avós
Amigos, filhos e filhas

Deixo também um obrigado
Pelos colegas que partiram antes de mim
Naquelas partidas, eu tinha raciocinado
Que nada precisa ter um fim

E como de fato, acabou por ser
Despedidas são tristes e sérias demais
Mesmo que seja sem querer
Meu mais humilde e sincero "até mais"


Dedicada a Equipe Vera Moreira
Samuel Garcia
Piratini, 06/04/2016