quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Similar.

Longas esperas sob os adornos do espaço
O branco dos pontos, virtudes ensinam
Como a leve brisa que vence o embaraço
De soprar tão fria na ausência do sol

O dedo que aponta a estrela
No céu da noite escura
É o fogo sereno da vela
Que alimenta o calor com brandura

Estando mais uma vez à luz do luar
Veio a mim, o fato mais interessante
A união do que é similar
É capaz de tornar o tempo, em instante

Feições e gestos
Posições e gostos
Acabam em afetos
Dos pés aos rostos

O que é igual transparece ser forte
E as semelhanças podem embriagar
Quando dois, não esperam da sorte
O sentimento se manifestar

Conforto e relutância
Provoca aos semelhantes
Compreensão em abundância
Ou incertezas preocupantes

Corações que um ao outro, conhecem
Peças do mosaico que encaixam
Mil sonhos já florescem
E nesse mútuo desejo, os acham

Porém, tanta igualdade também pode afastar
Nem tudo são flores no jardim
Quando chega a hora de amar
Similar, diferente, não importa no fim


Samuel Garcia
Piratini, 28/01/2015