domingo, 2 de agosto de 2015

Pensamentos.

Minha cabeça grita de dor
Pelo peso dessas reflexões
Visão do ideal, amostra do horror
Em cenários de mil emoções

Conserto das minhas falhas
Adepto da destruição em massa
Fria indiferença que a mim, entalha
Dimensões de bênçãos e desgraças

O vácuo é o pior dos labirintos
Pois não há qualquer saída
Onde são ineficazes os instintos
E a sanidade, de repente, é esquecida

Atrás da medição desse poder
Jaz o começo da perda de mim
O que eu era, se faz esquecer
E o meio, vai sufocando o fim

E quanto a todo o resto
Os cacos da minha consciência
Estão distantes e nem contesto
Impossível buscar uma providência

Um felizardo segundo marca presença
E o infinito se dissolve no ar
Não antes de soprar uma ofensa
Ao meu eu, que acaba de despertar

Coordenados e em conjunto
Produtos do corpo e da mente
Gestos, posições e assuntos
Que nos definem plenamente


Samuel Garcia
Piratini, 02/08/2015